segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Tecnologia e inteligência política

Ficar à mercê das armadilhas que a tecnologia pode promover tem antídoto: trabalho sério, continuado e direcionado para um público alvo específico com o cuidado da segmentação. 

E nunca ficou tão fácil para vereadores e prefeitos, pelo menos nas cidades médias porque o que conta nesses casos é o relacionamento com o eleitor. 

O que existe de mais poderoso e abrangente são os mecanismos de busca, acessáveis apenas se o seu trabalho e trajetória estiverem registrados em um blog ou site

São as cidades médias aquelas que apresentam os maiores desafios, já que não é tão simples como numa cidade pequena onde todos se conhecem, mas é bem mais fácil que numa cidade grande, tipo as capitais do Sudeste onde toda a propaganda chega em grande parte das vezes através da imprensa e das redes sociais.

Agora que estão na moda as “fake news”, as cidades médias vão apresentar um desafio para quem pleiteia uma vaga na prefeitura e na câmara. Os candidatos terão que adotar uma postura de cidade pequena, buscando conhecer e afinar suas ideias com a população e dar publicidade disso pela internet e imprensa.

Redes Sociais

Ao contrário do que muita gente pensa, as redes sociais são invisibilizadoras de qualquer ação baseada apenas nelas. Já falei sobre isso aqui. O que existe de mais poderoso e abrangente são os mecanismos de busca, acessáveis apenas se o seu trabalho e trajetória estiverem registrados em um blog ou site. O que dá abrangência no trabalho do político municipal é o texto que descreve a ação e a imagem que mostra a ação e é só a partir daí que o material vai ganhar as redes sociais.

Se o conteúdo é bom e verdadeiro, qualquer piada ou tentativa de chamuscar a imagem, cai rapidamente por terra. Já ao contrário servirá de combustível para que se espalhe toda sorte de informação negativa.

Como nada escapa do poder da tecnologia, o único antídoto é postura e divulgação sistemática.

Já atuam no Brasil, empresas que prometem análise de dados que permitem conhecer a audiência de maneira segmentada, oferecendo assim a oportunidade de encontrar segmentos sociais mais afinados com o perfil do político e assim buscar o engajamento nas campanhas desse público.

Se você não quer pagar por esses serviços, nem se tornar uma vítima nas mãos deles, o caminho é construir autoridade através do alinhamento da sua postura e da sua divulgação.

Construir Autoridade

Construir autoridade leva tempo, mas custa mais barato e te coloca na dianteira de qualquer candidato que de última hora, resolva colocar todas as artimanhas tecnológicas para fazer uma campanha.

A tecnologia pode ser uma aliada poderosa e ao mesmo tempo acessível financeiramente se você tomar a atitude correta enquanto o tempo está a seu favor.

Enfim se você já tem a liderança em determinado setor e é reconhecido por isso e seu discurso e ações refletem os interesses sociais, lembre que Uberlândia teve em 2016, mais de 250 mil eleitores que votaram válido, mas em candidatos que não foram eleitos entre os mais de 600 que se candidataram, ou seja, votaram de forma pulverizada. 

Situação que deve se repetir em 2020 a não ser que você se organize agora

Não os números, mas o ambiente, foi o mesmo em Araguari e Uberaba por exemplo e em inúmeras outras cidades de mesmo porte e importância pelo Brasil afora.

O cenário é adverso para a política e para os políticos, situação que só pode ser revertida com postura nova perante o eleitorado e o próprio mandato.

Fale comigo!!!

Pedro Reis
FarolCom Inteligência
Rua Tomazinho Rezende, 1330
Uberlândia - MG
34-3234-7465
34-9-9129-1547 - whatsapp Faça o primeiro contato.
34-9-8842-4861
coletivopress@gmail.com